O que avaliar antes de escolher muleta ou bengala para idosos?


Entre as diversas consequências do envelhecimento, a perda de massa muscular e de equilíbrio são as sentidas mais depressa pelos idosos. Em muitos casos, essa limitação acaba fazendo com que as pessoas tenham dificuldade para se locomover.

Quando isso acontece, as bengalas e muletas entram em cena. Seu objetivo é auxiliar as pessoas a se locomoverem e permitir que elas mantenham a autonomia, realizando as atividades do dia a dia sem problemas.

Para que elas sirvam a esse propósito e não compliquem ainda mais a vida dos idosos, porém, é preciso escolher o equipamento certo.

A seguir, mostraremos o que deve ser considerado na hora de escolher uma muleta ou bengala para idosos, apresentando também os tipos de equipamentos disponíveis no mercado e as diferenças entre eles. Confira!

Bengala para idosos

As bengalas são indicadas para pessoas que precisam de apoio “de um lado só”, ou seja, que têm alguma dificuldade de equilíbrio, fraqueza e/ou problemas nas articulações em uma só perna. Elas ajudam a redistribuir o peso que seria “tirado” dessa perna e jogado sobre a outra, evitando a sobrecarga e seus prejuízos ao membro saudável.

Contudo, se não forem do modelo adequado e do tamanho certo, a bengala pode facilitar quedas e sobrecarregar o ombro da pessoa que a utiliza. Para que a bengala tenha o tamanho adequado, a altura máxima dela deve coincidir com a altura da cabeça do fêmur ou do osso mais saliente do punho (na linha do dedo mínimo).

Em geral, as bengalas são feitas de madeira ou de alumínio e vendidas no mercado em um tamanho padrão de 90 a 93 cm, que seria ideal para uma pessoa com de 1,80 m de altura.

As de madeira tendem a ser mais baratas e devem ser cortadas no comprimento adequado à pessoa que vai utilizá-la. As de alumínio são mais leves, porém mais caras. Elas possuem regulagens de altura.

São três os tipos de bengalas:

Tradicional

É aquela que tem o apoio da mão em forma de “U” ou de gancho. É indicada para quem não tem dificuldade para segurar firme com as mãos.

Em T

Tem o apoio da mão em um formato que se assemelha a um “T”, o que oferece mais sustentação e dificulta que a mão escorregue. Por isso, é indicada a quem tem dificuldade para segurar objetos firmemente com as mãos.

Com base alargada

Tem vários pés, dando mais apoio a quem vai andar, e fica parada em pé sozinha, caso a pessoa precise se soltar da bengala por alguns instantes. Devido ao apoio que dá, é indicada a quem tem maior dificuldade para se locomover.

Muleta para idosos

Muletas utilizam os braços para apoio e propulsão, e podem servir tanto para quem precisa redistribuir o peso de um só lado quanto para quem precisa retirar o peso de ambas as pernas.

Apesar de proporcionarem bastante estabilidade a quem as usa, elas demandam muita força nos braços e nos ombros, por isso não são indicadas a idosos que já perderam muita massa muscular.

Em geral, elas são feitas de alumínio e são ajustáveis. Existem dois tipos de muleta:

Axilares

Aquelas cujo apoio é feito nas axilas. São as muletas mais comuns, mas exigem bastante força nos braços e podem provocar problemas de circulação se utilizadas de forma errada.

Canadenses

Também chamadas de “muletas de antebraço”, são aquelas cujo apoio é feito nas mãos. Além disso, elas têm uma “algema” que vai ao redor dos antebraços e permite que a pessoa fique com as mãos livres sem “largar” a muleta ou encostá-la em algum lugar.

Gostou das nossas dicas e quer conhecer os modelos de bengala para idosos disponíveis no mercado? Entre em contato conosco e conheça nossas opções!

Compartilhe nossos Artigos!

Victória Régia

Empresa com mais de 28 anos de experiência no segmento nosso intuito é ajudar da melhor forma possível com dicas, noticias e cuidados. Trabalhando assim em prol da saúde tanto do paciente como da família e sociedade.

Victória Régia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *